Tratamento para Dependentes Químicos

clínica de reabilitação na zona norte

clínica de reabilitação na zona norte

A visão de mudança de conceito na vida de do usuário de drogas é bem trabalhada na clinica de reabilitação na zona norte exatamente neste ponto em que são alcançados os melhores resultados e as mudanças mais expressivas dele.

Em suma, a recuperação do dependente químico deve ser realizada por um estabelecimento preparado, no qual a clinica de reabilitação na zona norte tanto no sentido funcional como também no estrutural oferece para acolher o paciente usando o melhor tratamento para que ele volte a viver com mais saúde e livre das drogas.

Portanto na clinica de reabilitação na zona norte buscasse propostas que permitam melhor adequação ao tratamento, através de atividades que contribuam para o resgate da cidadania do sujeito como por exemplo jogos de futebol, oficinas de desenho, sessões de filmes, reflexões sobre ética e justiça e grupos de psicoterapia. Na clinica de reabilitação na zona norte  a abstinência é incentivada, porém o propósito maior está na recuperação do sujeito, que começa a ser perdida ao adentrar na dependência, para isso a criação de confiança deve ser estabelecida pelo psicólogo e assim o vínculo possibilitará que o usuário entenda o processo pelo qual está passando e que na instituição encontrará o acolhimento necessário para sua reabilitação.

 A atuação da equipe interdisciplinar na clinica de reabilitação na zona norte também é usada como uma solução para a recepção e encaminhamento dos dependentes que chegam na clinica de reabilitação na zona norte, realizando a Inter consulta preocupando se em primeiro em avaliar a saúde no qual o dependente se encontra, onde muitas vezes é a primeira a necessidade. Consiste em uma forma coletiva de discutir com os profissionais da clinica de reabilitação na zona norte qual é o primeiro passo a ser seguido e avaliar conjuntamente qual a melhor opção de tratamento para aquele usuário. O papel do psicólogo em relação a Inter consulta é orientar outros profissionais quanto a importância da diferenciação dos níveis de gravidade de toxicodependência e de escutar os usuários e familiares, na compreensão da psicodinâmica das situações, ajudar os profissionais a desenvolver estratégias para incentivar o usuário, a perceber que ele é quem pode melhorar sua vida e quem tem o poder de mudar sua situação, o que se tenta promover nesse sentido é o resgate da responsabilidade sobre si mesmo.

O papel do psicólogo dentro da clinica de recuperação na zona norte  é construído por meio do estabelecimento de vínculo base, onde será possível a realização do trabalho, desse modo, não cabe aos profissionais da psicologia, nenhuma forma de censura moral aos comportamentos dos usuários, seja com relação ao uso de substâncias psicoativas ilícitas ou a comportamentos considerados contraditórios a moral e costumes tidos como aceitáveis, essa estratégia coloca em debate as formas de internação que usam a abstinência como única forma de encontrar qualidade de vida, excluindo a possibilidade do usuário de liberdade de escolha, responsabilidade individual, familiar e social, direito a integralidade de suas ações e redes sociais de apoio.

A dependência química explica os profissionais da clinica de reabilitação na zona norte caracteriza-se pela presença de um agrupamento de sintomas psicológicos, comportamentais e fisiológicos, indicando que o indivíduo continua utilizando uma substância, apesar de problemas significativos relacionados a ela. É considerado um problema de saúde pública que vem crescendo e ultrapassando todas as fronteiras sociais, emocionais, políticas e nacionais. Observa-se que os usuários de drogas, incluindo de álcool e cocaína, possuem alto índice de recaída, sendo a motivação um dos fatores importantes para o sucesso do tratamento.

São muitos os fatores que podem motivar o uso de drogas, como por exemplo, a busca de prazer ou a necessidade de ser aceito pelo grupo. Como tal a dependência é biopsicossocial, a abordagem para o tratamento do problema deve considerar elementos biológicos, psicológicos e sociais e a motivação deve ser vista como um estado de prontidão ou avidez para a mudança, que pode flutuar de um momento para outro e pode ser entendido como uma condição interna influenciada por fatores externos. Dentro da motivação, se encontra um processo através do qual o indivíduo transita entre quatro estágios:

Na fase de pré-contemplação o indivíduo não tem consciência de que há algum problema e, se houver, irá considerar que a responsabilidade é de outras pessoas. Neste estágio não é aconselhável guiá-lo diretamente para a abstinência e confrontá-lo com acusações, pois ele ainda não reconhece que precisa parar. O ideal é auxiliá-lo a reconhecer e desenvolver consciência de seus problemas.

Quando está na fase de contemplação ele começa a perceber que tem problemas, reconhece algumas desvantagens em estar usando drogas, mas não toma nenhuma atitude para mudar, ou seja, continua usando.

A determinação é a fase em que o sujeito tem a intenção objetiva de mudar o comportamento, parar de usar drogas, fazer um tratamento. É necessário, então, um planejamento de ação para garantir os resultados.

A partir daí ele estará no estágio de ação, colocando em prática suas tentativas de mudança. Neste momento os profissionais da clinica de reabilitação na zona norte explica que todas as possibilidades precisam estar de fácil acesso, por exemplo, o dependente está preparado para aceitar o tratamento.

Nem todos os dependentes químicos que tentam se recuperar conseguem se livrar de seus vícios sem auxílio do uso de remédios. No exemplo de dependentes que usam drogas depressoras do Sistema Nervoso Central, como o álcool, por exemplo, a falta das substâncias pode gerar fortes crises de abstinência.

Nesses casos, é necessário o auxílio de um psiquiatra para a avaliação da necessidade de remédios e para o acompanhamento do paciente a fim de recuperá-lo da crise, evitando recaídas. Além disso, os medicamentos podem auxiliar na melhora dos sintomas de abstinências, no tratamento de outras doenças que podem estar associadas como depressão, ansiedade, esquizofrenia, bipolar por exemplo.

A clinica de reabilitação na zona norte, também se preocupa com o espaço no qual seu paciente será inserido, pensando no ser humano e nos seus direitos, a clinica proporciona alem de profissionais qualificados espaços amplos no qual e que possa trazer um bem-estar tanto para o paciente como também para seus familiares.

Codependência

Você já deve ter ouvido falar de alguém que preza muito pelo relacionamento, que ama muito seu parceiro, que faz de tudo para manter o bem da relação, que esquece de si mesmo e passa a viver somente os interesses do cônjuge… Opa! Esquecer de si mesmo? Viver somente em função do parceiro? Isso começou a ficar meio estranho, não é verdade? Ficou sim… Isso não é amor, é Codependência Emocional!

A Codependência é caracterizada por pessoas que vivem para satisfazer os desejos do outro na relação, trata-se de uma síndrome emocional em que a pessoa não consegue se desvincular de seu parceiro, não consegue imaginar sua vida sem ele e nutre um grande medo de perder, por isso, todas as suas atitudes passam a ser preventivas para que o relacionamento não tenha problemas e venha a se romper. Sentimentos intensos, como amor, raiva, medo e insegurança podem ajudar a definir bem este quadro.

Quem é o Codependente?

O codependente é uma pessoa que vive para satisfazer os desejos de seu parceiro, apresentando um exagero de cuidado com o outro, enquanto negligencia as suas próprias vontades. Acaba se tornando um espelho que reflete somente necessidades externas, podendo abandonar emprego, amigos e tudo que for necessário para manter o relacionamento longe de ameaças, muitas vezes seu humor chega a mudar, quando o humor do parceiro muda. A pessoa entra em um estado de fusão quase total e quando se vê obrigado a olhar para si mesmo encontra imensa dificuldade já que não teve o hábito de prestar atenção em si mesmo durante a vida. Marcado por uma autoestima frágil e insegurança extrema, o codependente quer se sentir indispensável e acaba assumindo uma postura mais passiva e submissa, pois não dispõe de estrutura emocional para entrar em conflito com o parceiro.

Por outro lado, apesar de sua fragilidade emocional, por vezes se revela uma espécie de “sendo de superioridade elevado” quando imaginam que através de seu cuidado irão mudar o funcionamento do outro para melhor. “Eu vou ajudar” “Comigo ele vai sair das drogas”, etc.

Porque a Codependência acontece?

Na Codependência Emocional a pessoa desloca toda sua energia para o outro como forma de garantir que será amado e de que terá seu espaço intocável na vida do parceiro. O codependente não acredita em si mesmo, muitas vezes se vê de forma inferior e o excesso ou controle são tentativas desesperadas de se tornar interessante e manter o desejo do outro de ficar na relação.

Sintomas de Codependência Emocional

  • O foco está sempre no Outro: Onde o outro está, com quem está, o que está fazendo, o que vai pensar disso, etc
  • Vínculo distorcido: O que parece ser amor se transforma em uma relação de controle, poder e desejo incontrolável de agradar
  • No fundo acredita que pode mudar o outro e é motivado por este desejo;
  • Se sente confortável ao controlar e dominar o outro;
  • Tem medo extremo do fim do relacionamento
  • É controlador. Exige muito de si mesmo e do relacionamento;
  • Tem baixa autoestima
  • Tem dificuldade de compreender o outro

Como saber se sou Codependente?

A preocupação com as pessoas é um comportamento que deve ser estimulado, pois vivemos em sociedade e não podemos desprezar os sentimentos alheios, mas como saber se você está passando do ponto e assume um perfil de Codependência Emocional?

Para isso precisamos avaliar os seguintes aspectos:

  1. Quantos destes sintomas você apresenta?
  2. Há quanto tempo?
  3. Em que intensidade?
  4. Como isso te afeta e afeta suas relações?

Tratamento Codependência Emocional

A Codependência Emocional traz um nível de sofrimento alto e gera inúmeros prejuízos para a vida dos pacientes, recebo muitas pessoas que já tentaram de todo jeito lidar melhor com a situação e com seus próprios sentimentos, sem aparente progresso. É natural, porque se trata de um funcionamento muito enraizado, mas é possível mudar isso!

Após reconhecer o problema é preciso iniciar tratamento, que é realizado através de Psicoterapia. A terapia para Codependência Emocional traz resultados excelentes e dentre outras coisas, irá ajudar o paciente a:

  • Conseguir autonomia
  • Aumentar a autoestima
  • Gerenciar melhor os sentimentos
  • Aprender a diminuir o controle
  • Melhorar a autoimagem
  • Diminuir comportamentos autodepreciativo
  • Aprender a lidar com a culpa

Viver junto é maravilhoso, mas devemos encontrar ao longo da vida “companheiros de viagem” e não “tábuas de salvação”. Aprender a reconhecer seu valor pessoal o(a) fará se sentir mais seguro e pronto para experimentar uma relação mais saudável com seu companheiro(a) e principalmente consigo mesmo(a).

Psicóloga Fabíola Luciano – CRP 104468

Especialista pela Universidade de São Paulo – USP

www.psicologafabiola.com.br

clínica de reabilitação na zona norte

Atendimento 24hs

(11) 4175-0727

(11) 96474-1518 (Vivo/Whatsapp)