Tratamento para Dependentes Químicos

clínica de recuperação para dependentes de álcool e drogas

clínica de recuperação para dependentes de álcool e drogas

clínica de recuperação para dependentes de álcool e drogas – Com o aumento do uso de drogas entre toda as classes sociais e em toda faixa etária , vem aumentando a procura de pessoas a procura de internação , para poderem se livrar desse vicio que assola nossa sociedade , mas que ter a consciência que não basta apenas a internação se o local não traz um ambiente que realmente irá propiciar uma eficácia no tratamento trazendo soluções que realmente tanto o usuário necessita como seus familiares tanto buscam .

Na clinica de recuperação para dependentes de álcool e drogas, sabemos a importância de um tratamento equilibrado com profissionais altamente qualificados e preparados para lidar com a situação tanto do usuário quanto da família.

Quando os familiares buscam ajuda para seus entes eles estão altamente fragilizados com a situação em que o usuário se encontra, procurando suporte para que possam auxiliar nessa luta no qual sozinho já não conseguem mais.

A clinica de recuperação para dependentes de álcool e drogas pensamos sempre na melhor forma de tratamento, no qual o paciente e seus familiares irão encontra o apoio que tanto necessitam, reestruturando não só o emocional do usuário como também do familiar que se encontra bastante abalado.

Com profissionais altamente qualificados e com vasta experiência no assunto a clinica de recuperação para dependentes de álcool e drogas, traz em seu quadro de apoio psiquiatras que ira trabalhar com o tratamento multidisciplinar, envolvendo médico, psicólogo e outros profissionais dependendo de cada caso. O uso de medicação é de grande utilidade, pois ajuda a conter a vontade de usar e a diminuir os sintomas de abstinência.

A clinica de recuperação para dependentes de álcool e drogas ressalta que o apoio familiar é fundamental no processo de tratamento e que a família precisa se envolver e incentivar o doente na busca pela abstinência, entendendo que esse caminho é tortuoso, e que as recaídas são comuns nesse processo. Os familiares precisam entender que a dependência química é uma doença e não um desvio moral. Ao mesmo tempo, junto a esse apoio, precisa haver uma postura firme dos familiares para não permitir que o paciente os manipule.

 Na clinica de recuperação para dependentes de álcool e drogas temos o profissional de Psicologia que tem um papel fundamental para entender o caminho percorrido do paciente até se tornar viciado e ajudá-lo a se livrar desse vicio.

O psicólogo vai ajudar na reintegração social desse usuário, auxiliando-o a entender os conflitos e as emoções que levam ao uso da droga, levando em conta três aspectos principais: as características pessoais do dependente, a natureza do ambiente em que vive e as características do vício, como as drogas usadas e a freqüência de uso.

Por meio de sessões de conversa e de testes psicológicos, este profissional poderá identificar a função dos sintomas e o que eles querem dizer, podendo agir e direcionar seu trabalho objetivamente para cada pessoa, visto que cada indivíduo é único e possui razões e características diferentes que o levam à dependência.

Os terapeutas que atuam na clinica de recuperação para dependentes de álcool e drogas trabalham com o modelo cognitivo que sugere o pensamento disfuncional que é comum em todos os transtornos psicológicos. Acredita-se que quando os pacientes aprendem a avaliar os seus pensamentos de forma mais realista e adaptativa, conseguem obter uma melhora no seu estado emocional e comportamento. Encarar uma situação a partir de uma nova perspectiva pode fazer com que o paciente sinta-se melhor e passe a ter um comportamento mais funcional (BECK, 2013). Esse modelo é utilizado nas sessões para conceitualizar problemas clínicos e aderir métodos específicos desta abordagem. Com isso o terapeuta volta as suas atenções aos pensamentos, emoções e comportamentos e faz suas intervenções de tratamento. As sessões oportunizam a correção de pensamentos negativos e fortalecem uma visão mais positiva e realista de si mesmo, dos outros e do mundo.

O enfermeiro como agente de mudança que atua na clinica de recuperação para dependentes de álcool e drogas  deve compreender o processo de comunicação demonstrando atitudes de sensibilidade, aceitação e empatia com o paciente com o propósito de decodificar informações que por medo do desconhecido, utilização de recursos dispensados em suas terapias, procedimentos invasivos, linguagem técnica e rebuscada, apreensão de estar em um ambiente estranho, preocupação com sua integridade física, acabam por ficarem ocultas.

Os pacientes que estão na clinica de recuperação para dependentes de álcool e drogas necessitarão de tempo extra e atenção especial, de aceitação de seu comportamento sem criticas ou punições e de elogios e incentivos sinceros. O profissional de enfermagem não deve permitir que ele fira outras pessoas, favorecendo um ambiente que acalme seu comportamento mais destrutivo.

Um processo de enfermagem bem elaborado além da identificação dos diagnósticos permite estabelecer fortes vínculos terapêuticos entre o profissional e o paciente, o que irá favorecer na evolução da terapêutica. No espaço no qual está inserido a clinica de recuperação para dependente de álcool e drogas, as equipes incluem o profissional nutricionista, embora seja reconhecida a interferência do uso abusivo de substâncias psicoativas no comportamento alimentar, estando muitas drogas associadas a alterações nos hábitos alimentares e no estado nutricional do usuário por afetarem o apetite e a ingestão dos alimentos e/ou por agirem diretamente sobre a absorção e o metabolismo de nutrientes.

A clinica de recuperação para dependentes de álcool e drogas  alem de contar com todos esses profissionais altamente qualificados , também se preocupa com o espaço no qual seus pacientes estarão inseridos , disponibilizando assim ambientes seguros e tranquilos para uma completa reabilitação, tendo em vista que tanto seus pacientes quantos seus familiares necessitam de se sentirem seguros e amparados para que esse processo possa ser o mais tranqüilo possível .

Pensando sempre em trazer o melhor tratamento a clinica de recuperação para dependentes de álcool e drogas preocupa se em trazer em seu quadro de funcionários, aqueles que realmente irão se dedicar a auxiliar o paciente e seus entes queridos em todas as suas necessidades.

Codependência, Dependência Emocional ou Dependência Afetiva, é a inabilidade de manter e nutrir relacionamentos saudáveis com os outros e consigo mesmo, resultando em Relacionamentos Difíceis, Desgastados ou Destrutivos. Aqui você saberá quais são os principais sintomas, se você vive este problema e como tratar este transtorno que pode ser grave e gerar sérios prejuízos à saúde e a todas as áreas da vida.

Alguns Sintomas:

Cuidados excessivos com o outro – preocupação constante, necessidade compulsiva de ajudar o outro, antecipando as necessidades dele, assumindo responsabilidades por ele e deixando o próprio cuidado de lado;

Baixa autoestima – culpa-se por tudo, autoexigência e autocrítica exagerada, sente-se envergonhado e inferior aos outros, contenta-se com muito pouco, com “migalhas de amor”;

Repressão das emoções – reprime seus sentimentos e vontades, de tal modo que, com o tempo, perde o contato;

Controle compulsivo – necessidade de ter sempre o controle de si mesmo, das situações, do relacionamento, do outro, tentando mudá-lo;

Ciúme doentio – enorme insegurança, pensamentos constantes de ruminação pelo medo de ser traído ou de ser abandonado, comportamentos e discussões na tentativa de controlar os comportamentos do outro;

Negação – mente para si mesmo, finge que os problemas não existem ou não são graves, não enxerga e enfrenta os problemas que estão acontecendo na relação, pensa que um dia tudo vai melhorar “do nada”;

Vive oscilando entre o céu e o inferno – oscila entre gostar e sentir-se magoado e com raiva do outro, ou seja, ora se sente bem na relação e ora se torna vítima e age como o algoz, cobrando posturas de forma pesada e agredindo o outro;

Acredita que depende do outro – procura desesperadamente amor e proteção fora de si mesmo, não consegue ficar só, sente-se ameaçado pela perda do outro, sente que necessita do outro pra ser feliz;

Comunicação disfuncional – não expressa abertamente seus sentimentos e pensamentos, a comunicação não é honesta e franca; não consegue ter bons diálogos e discutir objetivamente os problemas; iniciativas de diálogo se tornam discussões áridas.

Dificuldades sexuais – usa o sexo para conquistar, segurar e ganhar a aprovação do outro; tenta manipular e controlar o outro através do sexo; fazem sexo quando não querem; com pouco ou nenhum prazer, etc.

Envolvimento com pessoas complicadas – escolhe parceiros indisponíveis, indecisos, de classe socioeconômica inferior, agressivos, distantes, que sugam e pouco doam, irresponsáveis, mal-caráter, que também apresentam transtornos psicológicos como dependências (de álcool, de outras drogas, de jogos, etc.). Por isto, tem decepção amorosa, sofre muito por amor, experimentando uma vida amorosa insatisfatória.
Estes sintomas e outros contribuem para Padrões de Relacionamentos Destrutivos.

Origem

O termo Codependência teve origem nos estudos com a Dependência química e foi atribuído aos familiares, partindo do princípio de que os familiares de dependentes químicos também apresentariam uma dependência, não das drogas, mas Dependência Emocional ou uma preocupação constante e fixa no dependente. Posteriormente, tornou-se claro que não é necessário conviver com um dependente químico para sofrer de Dependência emocional.

Causas da Codependência

A maior parte dos codependentes vem de famílias disfuncionais, conflitivas, que demonstraram significativa fragilidade emocional e, por isto, contribuíram para o desenvolvimento e instalação da dependência emocional entre seus membros. Em geral, o codependente viveu pouco amor, amparo, aceitação, segurança, coerência e harmonia familiar. Em muitos casos, houve rigidez de regras e críticas excessivas, abusos, violência psicológica e até física. Portanto, de modo geral, a pessoa desenvolve a Codependência a partir da infância.

Pesquisas

Os resultados de uma pesquisa recente realizada no Brasil, pela Unifesp mostram que, em média, 9 pessoas são afetadas pelo impacto de um dependente químico e estima-se que pelo menos 28 milhões de pessoas vivam hoje no Brasil com um dependente químico. A pesquisa aponta também que, além da resistência do dependente químico em aceitar o tratamento (52% dos casos), o comportamento/atitude da família (11%) é a segunda maior dificuldade encontrada no tratamento. Convivendo com sentimentos opressores como tristeza (28%), impotência (26%), dor, angústia, raiva, desespero, culpa, pena, decepção, solidão e medo. Este impacto corresponde aos vividos por familiares de doentes terminais.

clínica de recuperação para dependentes de álcool e drogas

 

Atendimento 24hs

(11) 4175-0727

(11) 96474-1518 (Vivo/Whatsapp)