Tratamento para Dependentes Químicos

clínica de recuperação para meninos

clínica de recuperação para meninos

A clínica de recuperação para meninos sabe que dependência é uma doença que envolve diversos fatores, destacando os biopsicossociais. O tratamento realizado na clínica de recuperação para meninos enfatiza a importância de um trabalho em conjunto no qual várias áreas se entrelaçam para alcançar o melhor objetivo, a partir de terapias tanto em conjunto como individual, atividades em grupo, esportes e atividades físicas em geral, acompanhamento psicológico, a psicologia pode auxiliar esses indivíduos, desde o período de tratamento para desintoxicação, a terem uma melhor adesão ao tratamento, ampliarem suas percepções e desenvolverem uma melhor qualidade de vida, podendo reavaliar suas ações.

As drogas são definidas como substâncias químicas capazes de modificar a função de organismos vivos, resultando em mudanças fisiológicas ou de comportamento, alterando sua função biológica e possivelmente sua estrutura. O processo de reabilitação envolve determinação, comprometimento e persistência.

Para uma maior explicação e para que aja um conhecimento do assunto em pauta os especialistas da clinica de recuperação para meninos, irá abordar o que vem ser as drogas e seus malefícios no corpo de um jovem que ainda está em transição de criança para a fase adulta. Os especialistas da clinica de recuperação para meninos enfatiza que uso da maior parte das drogas provoca, em um primeiro momento, efeitos muito positivos como sensação de bem-estar, felicidade e coragem, e é nessa fase que muitos jovens se vêem presos nessas sensações que a droga lhe traz, pois os mesmos se encontram em uma fase de transição no qual acham o apoio nas drogas , pois aquele jovem que é reprimido se sentira encorajado para ser o que realmente gostaria e aqueles que se sentem infelizes consigo mesmo acharam uma falsa felicidade e uma auto confiança que a droga falsamente pode proporcionar. Mas os especialistas da clinica de recuperação para meninos enfatiza que, no entanto, seus efeitos em longo prazo podem ser muito graves, especialmente quando utilizadas por muito tempo.

O uso de drogas pode provocar alterações sérias no funcionamento do coração, do fígado, pulmões e até mesmo do cérebro, sendo muito prejudicial à saúde.

Além disso, uma boa parte das drogas causa habituação e, por isso, o corpo vai precisando de uma dose cada vez superior para conseguir obter os mesmos resultados positivos, o que aumenta muito o risco de morte por overdose

A clínica de recuperação para meninos, enfatiza a importância de um acompanhamento de um psiquiatra que irá saber identificar qual o tipo de droga que o dependente utiliza, pois dependendo do tipo de droga se for depressora ela irá afetar o sistema nervoso central, e assim o dependente poderá ter contraído algumas doenças como esquizofrenia, depressão, transtorno bipolar entre outras. Nesse caso o psiquiatra que atua na clinica de recuperação para meninos saberá qual a medicação correta para ajudar o paciente e assim contribuir para que o tratamento tenha uma melhor eficácia.

Com terapeutas especializados em trabalhar com dependentes a clinica de recuperação para meninos, traz um projeto humanizado respeitando cada individuo como um único ser e com isso consegue resultados excelentes, os terapeutas irão conduzir diferentes técnicas de reinserção social global prescrita a partir da interpretação adequada das prescrições e orientações, mobilizando, de forma articulada, conhecimentos sobre os diferentes métodos e técnicas terapêuticas indicadas pela ciência e tecnologia da área, habilidades para operacionalizá-los, com a ativação do respeito à contribuição de diferentes áreas do conhecimento, do conceito de multidisciplinaridade e interdisciplinaridade e da habilidade para trabalho em equipes que obedeça a estes conceitos
Atuação em situações emergências.
Intervir em situações emergenciais com base no conhecimento e na interpretação de orientações e prescrições indicadas para diferentes casos, utilizando, de forma hábil e adequada, técnicas e procedimentos de primeiros socorros, alem de intervenção em casos de intoxicação, abstinência e seus desdobramentos. 

Utilizando da Terapia Ocupacional na clinica de recuperação para meninos como suporte à família do adolescente com dependência química através das atividades expressivas. A clinica de recuperação para meninos enfatiza que a família é um conjunto de pessoas ligadas por laços de sangue, parentesco ou dependência que estabelecem em si relações de solidariedade, tensão, conflito e afeto. Percebe-se nas famílias onde existem membros com dependência química, começa a haver também uma desestruturação do sistema familiar, devido ao desconhecimento do problema e de formas de adaptação na convivência a na superação de adversidades. Diante dessa problemática os especialistas que atuam na clinica de recuperação para meninos mostra-se de fundamental importância um suporte para esses familiares, proporcionando bem-estar e melhora na qualidade de vida. Pensando em estratégias de suporte familiar ao dependente químico os terapeutas juntamente com os demais especialistas da clinica de recuperação para meninos desenvolveram atividades expressivas, objetivando a expressão dos sentimentos, sofrimentos e angústias vividas pelos familiares. O resultado desse trabalho é de suma importância para a recuperação do jovem dependente, pois lhe trará um maior suporte tendo em vista que a família é parte primordial para o tratamento.

 Os especialistas da clinica de recuperação para meninos enfatiza que quando o dependente chega ao local de reabilitação com seu estado emocional bem debilitado, tendo como características: a irritabilidade, agressividade, mentiras, diminuição dos cuidados básicos até mesmo de higiene, incluindo, perda de valores, depressão, síndrome do pânico, esquizofrenia, entre outras, precisando neste momento de toda atenção e acolhimento.

Um fator de suma importância para o tratamento é em relação ao bem-estar do interno, que estando bem consigo mesmo, resgata a autoconfiança e obtém êxito para sua recuperação. A aceitação própria de ajuda provoca desejos de mudança e de libertação, conduzindo- o a deixar o vício.

O ambiente aonde acontecera  o tratamento , deve  ser tranqüilo livre de julgamentos  para que o individuo se sinta acolhido e protegido , com espaços adequados  incluindo área de lazer , tais como quadra para praticas de esporte do gosto do jovem , piscinas para a pratica de natação que auxilia na respiração e controla o estresse , salas de TV, ambiente para leitura , espaços adequados para as reuniões tanto individual quanto em grupo , quartos arejados , alimentação adequada e equilibrada para repor as vitaminas perdidas com o uso das drogas , lembrando sempre que o ambiente aonde se tenha contato com a natureza gera tranqüilidade e equilíbrio . Sendo a premissa o respeito ao próximo, nunca desvalorizando sua história de vida e seus ideais.

CODEPENDÊNCIA E TRATAMENTO FAMILIAR Professora e Conselheira Angela Hollanda CODEPENDÊNCIA “A palavra Codependência surgiu nos centros de tratamento no final da década de 70. O termo surgiu simultaneamente em diversos centros de Minnesota usado para descrever pessoas cujas as vidas foram afetadas pelo envolvimento com um dependente químico. O codependente, filho, cônjuge, ou amante de um dependente químico, era visto como alguém que desenvolvera um padrão doentio de lidar com a vida, numa reação ao abuso de álcool ou drogas praticadas por outra pessoa.” A ideia básica naquela época, quando surgiu a palavra codependência, era que os codependentes podiam ser definidos como pessoas que não conseguiam administrar suas vidas em função de uma relação comprometida com um depende químico. “O codependente é aquele que deixou-se influenciar pelo comportamento de outra pessoa, e que vive obcecado em controlar o comportamento desse outro.” É preciso deixar claro que o outro pode ser uma criança, um adulto, um amante, um cônjuge, um irmão ou irmã, um avô, pai, cliente ou melhor amigo. Pode ser um alcoólatra, dependente químico, um deficiente mental ou físico, alguém “normal” e que às vezes mergulha em sentimento de tristeza, e/ou qualquer pessoa mencionada anteriormente. A codependência é uma doença? É uma doença emocional e comportamental, chegando na maioria das vezes desencadear doenças sérias como depressão, hipertensão, diabetes e outros males físicos. Uma das razões pelas quais chamam a codependência de doença é que muitos codependentes reagem a doenças (o alcoolismo, por exemplo), e o fato do problema ser progressivo. À medida que as pessoas que nos cercam tornam-se mais doentes, podemos reagir mais intensamente. Qualquer que seja o problema do outro, a codependência envolve um sistema habitual de pensar, sentir e comportar-se, em relação a nós mesmos e aos outros, que pode causar sofrimento. Comportamentos ou hábitos codependentes são mais autodestrutivos. Podemos mudar? Somos capazes de aprender outros comportamentos mais saudáveis? TRATAMENTO FAMILIAR O impacto que a família sofre com o uso de drogas por um de seus membros é emocionalmente tão devastador quanto às reações que o usuário de drogas possa ter. Existem alguns estágios que caracterizam este impacto pelo qual a família de um dependente químico na passa: 1 – Na primeira etapa, ocorre sempre o mecanismo de negação. Ocorre tensão e desentendimento e as pessoas deixam de falar sobre o que realmente pensam e sentem, não admitem e não aceitam que tal fato possa estar acontecendo na sua família, logo na sua família. 2 – Em um segundo momento, a família demonstra extrema preocupação com essa questão e tenta controlar o uso da droga, bem como as suas consequências físicas, emocionais, no campo do trabalho e no convívio social. Mentiras e cumplicidades relativas ao uso abusivo de álcool e drogas instauram um clima de segredo familiar. A regra é não falar do assunto, mantendo a terrível ilusão de que as drogas e álcool não estão causando problemas na família. 3 – Na terceira fase, a desorganização da família é imensa. Seus membros assumem papéis rígidos e previsíveis, servindo de facilitadores. As famílias assumem responsabilidades de atos que não são seus, e assim o dependente químico deixa de ter a oportunidade de perceber as consequências do abuso de álcool e drogas. É comum ocorrer uma inversão de papéis e funções, como por exemplo, a esposa que passa a assumir todas as responsabilidades de casa em decorrência o alcoolismo do marido, ou a filha mais velha que passa a cuidar dos irmãos em consequência do uso de drogas da mãe. 4 – O quarto estágio é caracterizado pela exaustão emocional, podendo surgir graves distúrbios de comportamento e de saúde em todos os membros. A situação fica insuportável, levando ao afastamento entre os membros e gerando desestruturação familiar. Embora tais estágios definam um padrão do impacto das substâncias, não se pode afirmar que em todas as famílias o processo será o mesmo, mas inevitavelmente existe uma tendência dos familiares de se sentirem culpados e envergonhados por estar nesta situação. Infelizmente, devido a estes sentimentos, muitas vezes a família demora muito tempo para admitir o problema e procurar ajuda externa e profissional, o que leva o problema a ser ainda mais agravado. Geralmente, um eventual momento de internação foi antecedido por várias tentativas de recuperação com o objetivo de evitar uma internação. Provavelmente, houve a intenção e a esperança de acertar, mas, infelizmente não deu certo! Inicia-se então, uma intensa e cansativa busca de um tratamento adequado. Nesta fase a família já se encontra quase sempre esgotada, desestruturada, sem esperanças e completamente adoecida. Assim sendo, no período de internação do dependente químico deve-se ter como um dos objetivos, a conscientização da família sobre a seriedade da doença da adicção, a dificuldade de vivenciar situações tão destruidoras sozinhos, e, paralelamente, alertá-la sobre a importância da busca de mecanismos de ajuda adequados como: profissionais especializados, grupos de apoio (AA, NA, Amor Exigente) etc, que a oriente e possa prepará-la para conviver adequadamente com esta doença. Caso contrário, a desordem estabelecida nesta família só vai se agravando. O que os familiares podem e devem fazer para ajudar? A família tem um papel extremamente importante na recuperação do dependente químico. Ela não só pode, mas deve ajudar seu ente querido na busca da recuperação de um problema tão grave. Entretanto, muitas vezes, o desespero e a fragilidade emocional a qual a família é submetida é tão grande que quase sempre a atrapalha de exercer adequadamente seus papéis. A família é fundamental no processo de recuperação e posterior manutenção na medida em que ajuda o dependente químico a resgatar valores, princípios e autoestima, mas, ao atuar como facilitadora e com atitudes inadequadas, poderá ser o disparo, que o levará à recaída de comportamentos, à irresponsabilidade e, certamente, ao uso de substâncias. A constatação dessa dura realidade, ou seja, o deixar-se vencer pela doença, poderá levá-lo a sentimentos de menor-valia, desânimo, frustração e descrença na própria capacidade de recuperação. O que não a família não deve fazer? Independente do motivo que causou a dependência, a família não deve envergonhar-se, isolar-se, fazer julgamentos e reprovações, apegar-se aos ressentimentos e, muito menos, fingir que o problema não existe. Estes comportamentos só farão com que se afaste da realidade dos fatos, dificultando e atrasando a busca adequada de soluções para enfrentar a doença. É de vital importância que a família não só entenda, mas que comunique a outros que a dependência química é uma grave doença e que, apesar de ser incurável, progressiva e fatal, há chances de recuperação e manutenção de uma boa qualidade de vida. Quanto mais rápida for a busca da conscientização para um melhor tratamento e acompanhamento, maiores serão as chances de recuperação. Todos necessitam de ajuda! Neste caso, a família precisa se fortalecer e se reequilibrar.

clínica de recuperação para meninos

Atendimento 24hs

(11) 4175-0727

(11) 96474-1518 (Vivo/Whatsapp)