Tratamento para Dependentes Químicos

clínica de recuperação para mulheres

clínica de recuperação para mulheres

clínica de recuperação para mulheres

clínica de recuperação para mulheres
Em mulheres, existe uma maior ocorrência de depressão associada ao uso de drogas, principalmente ao álcool, onde há indícios de que essas substâncias reduzem alguns sintomas, como: ansiedade, solidão e tristeza, o que revela que a depressão sendo tratada, a chance de superar a dependência é muito maior.

Para isso, tivemos que estudar e entender melhor o universo feminino, para desenvolver metodologias eficazes que garantam resultado positivo ao tratamento.

A clínica de recuperação para mulheres com uma unidade exclusiva destinada às mulheres, visto que elas possuem necessidades diferentes das do homem, bem como seu organismo não reage da mesma forma, em relação a drogas.

O objetivo da clinica de recuperação para mulheres é resgatar tudo aquilo de bom que foi perdido com o uso de drogas na vida da paciente, devolvendo também a harmonia no ambiente familiar, reestruturação na vida profissional, além de orientar em questões complexas como a maternidade.

O programa terapêutico da clinica de recuperação para mulheres propicia a mudança de comportamento, podendo recuperá-los da obsessão e compulsão pelas drogas, álcool e outras substâncias psicoativas dando instrumentos para torná-los aptos a ter uma vida produtiva.

A grade terapêutica na clinica de recuperação para mulheres é intensiva não permite tempo ocioso aos pacientes. Diariamente, elas são envolvidas em diversas atividades que se iniciam com a higiene pessoal, passando por exercícios físicos, atividades lúdicas, motivação.

Na clinica de recuperação para mulheres contamos também, com psiquiatras altamente qualificados, com experiência na érea de pessoas usuária de drogas, enfermeiros que irão ministrar os medicamentos necessários para cada paciente, psicólogos que irão auxiliar nos traumas levando o paciente perceber que pode enfrentar seus medos e seus problemas sem se esconder atrás do uso das drogas.

Contando também com um espaço adequado no qual cada paciente tem sua privacidade, temos a área de lazer para os momentos no qual as paciente irão descontrair e fazer novas amizades com pessoas que estão nas mesmas luta.

 A alimentação adequada para auxiliar na desintoxicação tudo supervisionada por nutricionistas especializada em trabalhos com ex dependentes químicos.

 A clinica de recuperação para mulheres, sempre ressalta a importância que a família tem nesse processo pensando nisso propõem sempre espaços e reuniões com os familiares para que assim eles possam participar desse processo de libertação das drogas tanto para o usuário quanto para seus entes queridos.

Focando sempre no bem-estar dos seus pacientes, trazemos um trabalho inovador e eficaz, com muita dedicação de seus profissionais.

A clinica de recuperação para mulheres ressalta que o organismo de homens e mulheres reage de maneira diferente à bebida.  E quem sofre seus efeitos de forma mais veemente é o público feminino, a substância tende a se concentrar no sangue da mulher de uma forma mais intensa do que no homem, ainda que os dois consumam o mesmo volume da mesma bebida.

“Isto acontece basicamente porque a mulher possui maior proporção concentração de gordura e menor proporção de água em seu corpo em relação ao do homem: com isso, o álcool demora mais para metabolizar, elevando a concentração de álcool no sangue”, explica. Os especialistas da clinica de recuperação para mulheres que de certa forma, isto também nos dá pistas dos motivos pelos quais a dependência de álcool progride mais rápido em mulheres”.

Quando o consumo se dá durante a gestação, os riscos de comprometimento da saúde da mãe e do bebê são muito grandes. “Para se ter uma idéia, o abuso de bebidas na gestação pode levar a síndrome fetal pelo álcool, que é caracterizada pelo retardo mental grave e outros problemas, incluindo retardo de crescimento, anomalias faciais e cardíacas”,

Em relação ao funcionamento fisiológico das mulheres os especialistas da clinica de recuperação para mulheres ressalta que o consumo abusivo de álcool está associado a diversos problemas de saúde, como interrupção das menstruações, tensão pré-menstrual, problemas de fertilidade e menopausa precoce.

As diferentes reações entre homens e mulheres são se limitam ao álcool. Em 2008, estudos realizados pelo Centro de Estudos Psiquiátricos da Universidade de Melbourne e publicados pela revista “Neuroscience and Biobehavioural Reviews” revelou que os efeitos do ecstasy são mais intensos nas mulheres. Não foi detectado um motivo aparente, mas uma das teorias tem como base o estrogênio, que é capaz de aumentar a sensibilidade da mulher aos efeitos de substâncias.

Os profissionais da clinica de recuperação para mulheres ressalta que há evidências de que drogas como cocaína, maconha, tranqüilizantes e estimulantes tenham efeitos mais prejudiciais em mulheres”. Para ela, mesmo com a revolução feminina, ainda perduram resquícios do sexo frágil, sensível, o que ainda contribui para a vulnerabilidade da mulher em relação às drogas. “Assim, esta pressão de ser ao mesmo tempo mãe, esposa, profissional e muitas vezes chefe de família acaba acarretando em consequências psíquicas que favorecem o uso e abuso de drogas, o que gera a dependência química”, avalia.

Os transtornos relacionados ao uso de drogas podem ser tão perigosos quanto a dependência em si. “A incidência de transtornos psiquiátricos em mulheres com dependência química exige uma avaliação ainda mais apurada, pois é comum que elas apresentem transtorno de alimentação e de humor”, comenta a Diretora Terapêutica da Clínica Viva. “Tentativas de suicídio são especialmente comuns entre mulheres dependentes químicas, o que requer atenção especial a este aspecto”, completa.

A Clínica de recuperação para mulheres atende as mulheres em unidades especializadas a principal diferença está na abordagem. “Além das psicoterapias, o tratamento das nossas pacientes contempla cuidados especiais, como foco maior em arte terapia, cuidado fisiológico especial, condicionamento físico adaptado, entre outras ferramentas

Assim como a vulnerabilidade das mulheres em relação às drogas é maior, a vontade de se reerguer segue o mesmo caminho. “Quando elas absorvem o tratamento emocionalmente, o comprometimento se torna muito grande e percebemos uma força de vontade incrível de que se obtenha êxito”, afirma os especialistas da clinica de recuperação para mulheres.

Ressaltando a importância da família nesse processo de recuperação dos pacientes a clinica de recuperação para mulheres, tem em seu espaço um ambiente para que as famílias se reúnam e possam passar algum tempo com seu ente querido.

O que é Dependência Emocional ou Codependência?

Codependência, Dependência Emocional ou Dependência Afetiva, é a inabilidade de manter e nutrir relacionamentos saudáveis com os outros e consigo mesmo, resultando em Relacionamentos Difíceis, Desgastados ou Destrutivos. Aqui você saberá quais são os principais sintomas, se você vive este problema e como tratar este transtorno que pode ser grave e gerar sérios prejuízos à saúde e a todas as áreas da vida.

Alguns Sintomas:

  • Cuidados excessivos com o outro- preocupação constante, necessidade compulsiva de ajudar o outro, antecipando as necessidades dele, assumindo responsabilidades por ele e deixando o próprio cuidado de lado;
  • Baixa autoestima– culpa-se por tudo, autoexigência e autocrítica exagerada, sente-se envergonhado e inferior aos outros, contenta-se com muito pouco, com “migalhas de amor”;
  • Repressão das emoções– reprime seus sentimentos e vontades, de tal modo que, com o tempo, perde o contato;
  • Controle compulsivo– necessidade de ter sempre o controle de si mesmo, das situações, do relacionamento, do outro, tentando mudá-lo;
  • Ciúme doentio– enorme insegurança, pensamentos constantes de ruminação pelo medo de ser traído ou de ser abandonado, comportamentos e discussões na tentativa de controlar os comportamentos do outro;
  • Negação– mente para si mesmo, finge que os problemas não existem ou não são graves, não enxerga e enfrenta os problemas que estão acontecendo na relação, pensa que um dia tudo vai melhorar “do nada”;
  • Vive oscilando entre o céu e o inferno- oscila entre gostar e sentir-se magoado e com raiva do outro, ou seja, ora se sente bem na relação e ora se torna vítima e age como o algoz, cobrando posturas de forma pesada e agredindo o outro;
  • Acredita que depende do outro– procura desesperadamente amor e proteção fora de si mesmo, não consegue ficar só, sente-se ameaçado pela perda do outro, sente que necessita do outro pra ser feliz;
  • Comunicação disfuncional– não expressa abertamente seus sentimentos e pensamentos, a comunicação não é honesta e franca; não consegue ter bons diálogos e discutir objetivamente os problemas; iniciativas de diálogo se tornam discussões áridas.
  • Dificuldades sexuais- usa o sexo para conquistar, segurar e ganhar a aprovação do outro; tenta manipular e controlar o outro através do sexo; fazem sexo quando não querem; com pouco ou nenhum prazer, etc.
  • Envolvimento com pessoas complicadas- escolhe parceiros indisponíveis, indecisos, de classe socioeconômica inferior, agressivos, distantes, que sugam e pouco doam, irresponsáveis, mal-caráter, que também apresentam transtornos psicológicos como dependências (de álcool, de outras drogas, de jogos, etc.). Por isto, tem decepção amorosa, sofre muito por amor, experimentando uma vida amorosa insatisfatória.

Estes sintomas e outros contribuem para Padrões de Relacionamentos Destrutivos.

Origem

O termo Codependência teve origem nos estudos com a Dependência química e foi atribuído aos familiares, partindo do princípio de que os familiares de dependentes químicos também apresentariam uma dependência, não das drogas, mas Dependência Emocional ou uma preocupação constante e fixa no dependente. Posteriormente, tornou-se claro que não é necessário conviver com um dependente químico para sofrer de Dependência emocional.

Causas da Codependência

A maior parte dos codependentes vem de famílias disfuncionais, conflitivas, que demonstraram significativa fragilidade emocional e, por isto, contribuíram para o desenvolvimento e instalação da dependência emocional entre seus membros. Em geral, o codependente viveu pouco amor, amparo, aceitação, segurança, coerência e harmonia familiar. Em muitos casos, houve rigidez de regras e críticas excessivas, abusos, violência psicológica e até física. Portanto, de modo geral, a pessoa desenvolve a Codependência a partir da infância.

Pesquisas

Os resultados de uma pesquisa recente realizada no Brasil, pela Unifesp mostram que, em média, 9 pessoas são afetadas pelo impacto de um dependente químico e estima-se que pelo menos 28 milhões de pessoas vivam hoje no Brasil com um dependente químico. A pesquisa aponta também que, além da resistência do dependente químico em aceitar o tratamento (52% dos casos), o comportamento/atitude da família (11%) é a segunda maior dificuldade encontrada no tratamento. Convivendo com sentimentos opressores como tristeza (28%), impotência (26%), dor, angústia, raiva, desespero, culpa, pena, decepção, solidão e medo. Este impacto corresponde aos vividos por familiares de doentes terminais.

Solicitamos a gentileza de, ao publicar este artigo, citar a fonte:
Autora: Dra. Elizabeth Zamerul Ally, médica psiquiatra, psicoterapeuta, especialista em Dependência Química e Codependência www.dependenciaecodependencia.com.br

clínica de recuperação para mulheres

Atendimento 24hs

(11) 4175-0727

(11) 96474-1518 (Vivo/Whatsapp)