Tratamento para Dependentes Químicos

Clínica para recuperação de menores em Jundiaí

Clínica para recuperação de menores em Jundiaí

A clínica para recuperação de menores em Jundiaí é um lugar onde menores que façam uso de drogas precisam estar em local protegido para que consigam parar com o uso imediato.

Esperar que uma pessoa pare sem ajuda é um risco grande, pois o uso costuma ser progressivo, podendo levar a dependência química, levando para o resto da vida as consequências como a fragilidade às recaídas, a clínica para recuperação de menores em Jundiaí sugere procurar ajuda por profissionais que esclareçam a atitudes a serem tomadas.

O uso de drogas tem muito a ver com os fatores emocionais na qual cada um carrega e não sabe lidar ou causa incômodo, inicialmente o uso acontece por curiosidade e aceitação por grupos e pessoas, mas o uso prolongado e constante pode ter relação com os problemas pessoais aonde o menor usa para não vir de encontro, assim o tratamento na clínica para recuperação de menores em Jundiaí foca.

Se o menor não quer parar com o uso de drogas, qualquer tratamento pode ser em vão, é preciso que ele se conscientize das questões que usa de drogas traz e dos motivos que o levava ao uso, assim buscar o entendimento e escolher e criar uma nova forma de viver.

A clínica para recuperação de menores em Jundiaí realiza terapias com psicólogo para fortalecer os menores de suas questões pessoais, lembrando que para cada um tem maior peso, os problemas pessoais precisam ser respeitando principalmente pela família, por mais que pareça sem importância.

A clínica para recuperação de menores em Jundiaí uniu profissionais especializados em único local onde possibilita o diálogo sobre cada paciente, psicólogo, psiquiatra, enfermeiro, nutricionista, terapeuta ocupacional, monitores e pessoal administrativo.

Doenças psíquicas também podem levar ao uso de drogas, a depressão é um caso, doenças que não é dada muita importância, mas que apresenta sintoma nos pacientes menores na maioria dos casos, assim o psiquiatra da clínica para recuperação de menores em Jundiaí diagnosticará e tratará se necessário.

Alimentação balanceada pelo nutricionista repõem os nutrientes perdidos acompanhados pelo enfermeiro da clínica para recuperação de menores em Jundiaí auxiliando nas medicações, primeiros socorros para os casos mais sérios, como no caso de menores que passam a viver na rua para facilitar o uso.

A clínica para recuperação de menores em Jundiaí está disposição para ajudar no que for preciso, entre em contato se precisar.

Acompanhe o texto explicando sobre a “Codependência”.

Ser vulnerável e se deixar influenciar pelo comportamento do outro, não significa ser mau ou defeituoso. Com certeza esse comportamento de codependente foi aprendido, assimilado ao longo da vida, na infância ou no passar dos anos.

Você não pode se acomodar e aceitar como definitiva essa situação. Vá à luta, você pode se recuperar. Vamos lhe propor um processo de reconstrução do seu estilo de vida, que se desenvolverá ao longo do tempo, passando por momentos de reorganização dos seus sintomas, problemas, mecanismos de ação e reação.

Isso, porém, você conseguirá através da conscientização das suas limitações, e da vigilância ao seu comportamento, quando aprenderá a: Sentir; Exprimir emoções; Valorizar o que deseja e necessita; Deixar de punir a si mesmo pelos problemas, bobagens e insanidade de outros; Deixar de exigir perfeição de si mesmo e de outrem; Deixar de reagir aos poderosos sistemas disfuncionais que tanto lhe afetam; Parar de se envolver em loucuras; Deixar de tomar conta compulsivamente de outras pessoas, para tomar conta de si mesmo; Lidar com qualquer assunto, ou comportamentos compulsivos; Deixar de se concentrar no que está errado, passando a observar o que está certo; Ser bom para si mesmo; Se divertir e sentir prazer em viver; Se sentir bem com o que consegue; Se relacionar; amar a si mesmo, para amar melhor o outro; Não se permitir ser usado e magoado; Estabelecer limites; Deixar de lado a preocupação e a negação; Resolver os problemas construtivamente; Em vez de apenas reagir, aprender a relaxar e agir; Deixar de ser vítima; Não tolerar apenas a Vida, mas começar a Vivê-la. Oferecemos-lhe a Oração da Serenidade, para dar-lhe força nessa tarefa.

“Eu seguro a minha mão na sua, Uno meu coração ao seu, para que juntos possamos fazer aquilo que sozinho não consigo Concedei-me Senhor a Serenidade necessária para aceitar as coisas que não posso modificar Coragem para modificar aquelas que posso e sabedoria para distinguir umas das outras Força! Fé! Alegria!

CoDependência: como saber se você é um co-dependente e o que fazer

O dependente químico afeta diretamente nove pessoas do seu convívio social, Pai, Mãe, filhos(as), namorado(a), marido, esposa, parentes e amigos(as) através do seu comportamento obsessivo e compulsivo.
Para muitos a co-dependência é a doença da perda da alma, pelo distanciamento de nossa identidade e de nossa vida cotidiana, somado à completa identificação da “não vida” do dependente químico. Agrava-se quando a família é disfuncional, quando ocorre a transferência da frustração das necessidades emocionais e materiais para filhos(as). Esta forte ligação emocional com uma pessoa com dependência química com comportamento destrutivo e problemático, passando a viver não mais a sua vida, mas a do outro, é a co-dependência.

Uma das coisas mais difíceis é a aceitação da situação pelo co-dependente, acreditando que a sua felicidade está intimamente ligada à vida daquele que presta ajuda e, assim, transforma, deste modo, a compreensão, a tolerância e o cuidado em comportamentos abusivos e manipuladores do dependente químico. Algumas características para saber se você é ou não um co-dependente: tendência a extremos (apatia ou agressividade); controle obsessivo da vida do outro(a; sentimento de responsabilidade pelas necessidades, desejos, bem-estar e escolhas da outra pessoa; excesso de culpa e pena quando a outra pessoa não consegue resolver os problemas; sentir-se completamente inútil quando sua ajuda não presta ou não resolve alguma situação do outro; transferência de culpa ou responsabilidade pra outras pessoas; rejeição de observações e críticas acerca do comportamento inadequado do dependente químico e o relacionamento com a pessoa torna-se estressante e frágil ao invés de ser um sentimento amoroso e tranquilo.

O que fazer? Quando tomamos conhecimento da co-dependência resgatamos o primeiro elo de nossa identidade, precisaremos, ainda, reavaliar nossos sentimentos, nossas necessidades, estabelecer limites, sem nunca abandonar a ajuda firme e segura que devemos prestar ao dependente químico, sendo primordial, frequentar grupos de mútuo-ajuda como AL-ANON, NAR-ANON e Amor-Exigente onde podemos e devemos compartilhar nossas histórias e, ainda, caso necessário, buscar ajuda de um especialista ou algum tipo de aconselhamento psicológico.

A sua tomada de atitude sobre o que fazer, após a aceitação da sua co-dependência, passado o período normal da negação de 3 a 5 anos, é fundamental para uma recuperação sadia e pacífica. É um processo doloroso, demorado e não será fácil, mas o principal é que em você se ajudando estará ajudando amorosamente o seu ente querido, adicto e dependente químico.

Amor Exigente
www.amorexigente.org.br

encontre um grupo perto de você:
http://www.amorexigente.org.br/busca-

Clínica para recuperação de menores em Jundiaí

Atendimento 24hs

(11) 4175-0727

(11) 96474-1518 (Vivo/Whatsapp)