Tratamento para Dependentes Químicos

Clínica para recuperação de menores em Mauá

Clínica para recuperação de menores em Mauá

Acreditar que um menor pare com o uso de drogas por si só é o que todos que estiveram próximos a pessoas que faziam uso queriam, agora, é de conhecimento de todos o poder que a droga tem no vício e dependência, tanto psicológico quanto físico, assim a clínica para recuperação de menores em Mauá orienta procurar ajuda o quanto antes.

Uma forma de parar com o uso imediato é retirar o menor para um local seguro e protegido onde não conseguirá fazer uso a hora que quer. A clínica para recuperação de menores em Mauá acolhe esses menores para tratamento onde será acompanhado de pessoas empenhadas que queiram dar uma nova oportunidade de vida.

Profissionais especializados fazem parte da equipe que trabalha na clínica para recuperação de menores em Mauá, psicólogo, psiquiatra, enfermeiro, terapeuta ocupacional, nutricionista, monitores e equipe administrativa.

Nossa maior preocupação da clínica para recuperação de menores em Mauá é dar fortalecimento emocional aos menores diante da fragilidade que possam se encontrar e quando estiverem frente ao uso de drogas optarem pela vida que querem conquistar sem recorrer a utilização da droga como mecanismo inibidor dos sentimentos desconfortáveis.

Os pacientes da clínica para recuperação de menores em Mauá ao término do tratamento acreditarem que possam lidar com suas dificuldades sem o uso de drogas, assim estimulamos a reflexão diária através de atividades laborterápicas e psicoterapêuticas com terapeuta ocupacional bem como lazer e esporte na quadra e piscina.

Psicólogo realiza terapia frequentemente e o psiquiatra da clínica para recuperação de menores em Mauá verifica se ocorre doenças psíquicas que levam o uso de drogas. A depressão é uma doença que não é dada muita importância, mas que tem grande influência no uso de drogas por menores.

Ao perceber que seu familiar ou amigo não consegue mais ficar sem o uso de drogas, procure ajudá-lo, entre em contato com profissionais da área ou procure por nós da clínica para recuperação de menores em Mauá que estaremos à disposição no que for preciso. Avalie a retirada da pessoa do local, pois dificilmente alguém envolvido com drogas conseguirá para estando em local onde consiga drogas quando bem entender.

Essas são algumas das diretrizes que a clínica para recuperação de menores em Mauá realiza, informamos para tranquilidade que a clínica para recuperação de menores em Mauá é vistoriada e regularizada pela Anvisa (vigilância sanitária), corpo de bombeiros e possui alvará de funcionamento.

Acompanhe o texto da coordenadora explicando sobre a “Codependência”.

Ser vulnerável e se deixar influenciar pelo comportamento do outro, não significa ser mau ou defeituoso. Com certeza esse comportamento de codependente foi aprendido, assimilado ao longo da vida, na infância ou no passar dos anos.

Você não pode se acomodar e aceitar como definitiva essa situação. Vá à luta, você pode se recuperar. Vamos lhe propor um processo de reconstrução do seu estilo de vida, que se desenvolverá ao longo do tempo, passando por momentos de reorganização dos seus sintomas, problemas, mecanismos de ação e reação.

Isso, porém, você conseguirá através da conscientização das suas limitações, e da vigilância ao seu comportamento, quando aprenderá a: Sentir; Exprimir emoções; Valorizar o que deseja e necessita; Deixar de punir a si mesmo pelos problemas, bobagens e insanidade de outros; Deixar de exigir perfeição de si mesmo e de outrem; Deixar de reagir aos poderosos sistemas disfuncionais que tanto lhe afetam; Parar de se envolver em loucuras; Deixar de tomar conta compulsivamente de outras pessoas, para tomar conta de si mesmo; Lidar com qualquer assunto, ou comportamentos compulsivos; Deixar de se concentrar no que está errado, passando a observar o que está certo; Ser bom para si mesmo; Se divertir e sentir prazer em viver; Se sentir bem com o que consegue; Se relacionar; amar a si mesmo, para amar melhor o outro; Não se permitir ser usado e magoado; Estabelecer limites; Deixar de lado a preocupação e a negação; Resolver os problemas construtivamente; Em vez de apenas reagir, aprender a relaxar e agir; Deixar de ser vítima; Não tolerar apenas a Vida, mas começar a Vivê-la. Oferecemos-lhe a Oração da Serenidade, para dar-lhe força nessa tarefa.

“Eu seguro a minha mão na sua, Uno meu coração ao seu, para que juntos possamos fazer aquilo que sozinho não consigo Concedei-me Senhor a Serenidade necessária para aceitar as coisas que não posso modificar Coragem para modificar aquelas que posso e sabedoria para distinguir umas das outras Força! Fé! Alegria!

CoDependência: como saber se você é um co-dependente e o que fazer

O dependente químico afeta diretamente nove pessoas do seu convívio social, Pai, Mãe, filhos(as), namorado(a), marido, esposa, parentes e amigos(as) através do seu comportamento obsessivo e compulsivo.
Para muitos a co-dependência é a doença da perda da alma, pelo distanciamento de nossa identidade e de nossa vida cotidiana, somado à completa identificação da “não vida” do dependente químico. Agrava-se quando a família é disfuncional, quando ocorre a transferência da frustração das necessidades emocionais e materiais para filhos(as). Esta forte ligação emocional com uma pessoa com dependência química com comportamento destrutivo e problemático, passando a viver não mais a sua vida, mas a do outro, é a co-dependência.

Uma das coisas mais difíceis é a aceitação da situação pelo co-dependente, acreditando que a sua felicidade está intimamente ligada à vida daquele que presta ajuda e, assim, transforma, deste modo, a compreensão, a tolerância e o cuidado em comportamentos abusivos e manipuladores do dependente químico. Algumas características para saber se você é ou não um co-dependente: tendência a extremos (apatia ou agressividade); controle obsessivo da vida do outro(a; sentimento de responsabilidade pelas necessidades, desejos, bem-estar e escolhas da outra pessoa; excesso de culpa e pena quando a outra pessoa não consegue resolver os problemas; sentir-se completamente inútil quando sua ajuda não presta ou não resolve alguma situação do outro; transferência de culpa ou responsabilidade pra outras pessoas; rejeição de observações e críticas acerca do comportamento inadequado do dependente químico e o relacionamento com a pessoa torna-se estressante e frágil ao invés de ser um sentimento amoroso e tranquilo.

O que fazer? Quando tomamos conhecimento da co-dependência resgatamos o primeiro elo de nossa identidade, precisaremos, ainda, reavaliar nossos sentimentos, nossas necessidades, estabelecer limites, sem nunca abandonar a ajuda firme e segura que devemos prestar ao dependente químico, sendo primordial, frequentar grupos de mútuo-ajuda como AL-ANON, NAR-ANON e Amor-Exigente onde podemos e devemos compartilhar nossas histórias e, ainda, caso necessário, buscar ajuda de um especialista ou algum tipo de aconselhamento psicológico.

A sua tomada de atitude sobre o que fazer, após a aceitação da sua co-dependência, passado o período normal da negação de 3 a 5 anos, é fundamental para uma recuperação sadia e pacífica. É um processo doloroso, demorado e não será fácil, mas o principal é que em você se ajudando estará ajudando amorosamente o seu ente querido, adicto e dependente químico.

Clínica para recuperação de menores em Mauá

Atendimento 24hs

(11) 4175-0727

(11) 96474-1518 (Vivo/Whatsapp)