Tratamento para Dependentes Químicos

unidade de recuperação para menores de idades

unidade de recuperação para menores de idades

Os especialistas que atuam na unidade de recuperação para menores de idades ressaltam que o abuso e a dependência das drogas é um problema de saúde que afeta muitas pessoas e tem uma grande variedade de conseqüências sociais e na saúde dos indivíduos.

A dependência começa com o abuso das drogas quando uma pessoa faz uma escolha consciente de usar drogas, mas a dependência não é apenas “o uso de grande quantidade de drogas”. Com pesquisas apoiadas pelos especialistas da unidade de recuperação para menores de idades e embasados na área da ciência que estuda como o corpo humano reage ao consumo das drogas, têm demonstrado que as drogas não somente interferem com o funcionamento cerebral normal, criando sensações de prazer, mas também tem efeitos a longo-prazo no metabolismo e atividade cerebral, e num determinado momento, as mudanças que ocorrem no cérebro podem transformar o abuso em dependência.

As pessoas viciadas em drogas têm um desejo compulsório e não conseguem deixar as drogas por vontade própria. O tratamento é necessário para dar fim a esse comportamento compulsivo.

Com uma equipe de profissionais altamente qualificados e que tem em mente que um tratamento tem de ser humanizado e ter as junções de varias áreas do conhecimento, os especialistas da unidade de recuperação para menores de idades enfatiza que a dependência é claramente tratável.

O tratamento pode ter um profundo efeito não apenas nos usuários de drogas, mas também na sociedade como uma diminuição da criminalidade e violência, redução da contaminação da AIDS, acidentes automobilísticos e outros fatores associados às drogas.

Para um maior entendimento do mal que cada droga pode trazer ao organismo humano, sendo piorado quando ainda se está na faze de desenvolvimento que é o caso dos jovens, pois seu organismo ainda é mais frágil e suscetível aos efeitos mais devastadores, os especialistas da unidade de recuperação para menores de idades, irá explicar o efeito e o malefício que cada droga ocasiona no organismo.

A cocaína é uma droga com grande potencial de causar dependência. Uma pessoa que experimenta a cocaína não pode prever ou controlar a extensão de seu uso.

Existem grandes riscos no uso da cocaína independente do modo de como ela é usada, por inalação, injeção ou fumo. Parece que o uso compulsivo da cocaína pode se desenvolver ainda mais rapidamente se a substância for fumada (na forma de crack). Os efeitos físicos do uso da cocaína incluem uma constrição nos vasos periféricos, dilatação das pupilas, e aumento da temperatura, freqüência cardíaca e pressão arterial.

A duração dos efeitos eufóricos imediatos da cocaína, que incluem hiperestimulação, redução do cansaço e clareza mental, depende da via de administração. Quanto maior a absorção, maior a intensidade dos efeitos. Por outro lado, quanto maior a absorção, menor o tempo de duração. Pode ocorrer o desenvolvimento de tolerância e a necessidade de maiores quantidades para se conseguir os mesmos efeitos. Os profissionais da clinica de reabilitação para menores dependentes químicos, ressalta ainda o grande perigo para droga (MDMA) que é uma droga sintética e psicoativa com propriedades estimulantes e alucinógenas. Popularmente é também conhecida como êxtase e droga do amor. Primariamente usada em boates e raves, está sendo cada vez mais usada em vários outros círculos sociais.

O MDMA é usualmente ingerido na forma de pílula, mas alguns usuários fazem uso por inalação, injeção, ou supositório. O êxtase é neurotóxico. Além disso, em altas doses pode causar aumento agudo da temperatura corporal (hipertermia maligna), o que pode levar a lesão muscular e insuficiência dos rins e sistema cardiovascular.

Foi demonstrado que o MDMA causa lesão cerebral, afetando os neurônios. Temos também a heroína que leva a dependência facilmente, os especialistas da clinica de reabilitação para menores dependentes químicos explica que é uma droga processada da morfina e seu uso é fatal, havendo vários casos de overdose, no qual na maioria das vezes o jovem vem a óbito.

O abuso da heroína está associado com graves problemas físicos, incluindo overdose fatal, aborto espontâneo, colapso venoso e doenças infecciosas, incluindo HIV/AIDS e hepatite. Complicações pulmonares, incluindo vários tipos de pneumonia, podem resultar da condição de saúde precária do usuário, assim como do efeito depressor da heroína na respiração.

A maconha principal composto químico ativo da maconha é o THC (delta-9-tetraidrocanabinol) e é o responsável pelos efeitos da maconha no sistema nervoso. Quando o indivíduo fuma a maconha, o THC rapidamente passa dos pulmões para o sangue, que o carrega para todo o organismo, incluindo o cérebro.

Ao contrário do que alguns pensam, enfatiza os profissionais da clinica de reabilitação para menores dependentes químicos a maconha pode trazer grandes problemas para a vida e saúde do indivíduo.

Os efeitos em curto prazo do uso da maconha incluem problemas com memória e aprendizado; percepção distorcida; dificuldade em pensar e resolver problemas; perda da coordenação; e aumento da freqüência cardíaca. Pesquisas têm demonstrado que o uso da maconha em longo prazo causa algumas mudanças no cérebro semelhantes aos vistos no abuso de outras drogas consideradas mais “pesadas”.

Para os especialistas da unidade de recuperação para menores de idades é de suma importância que tanto os pais ou responsáveis e os jovens tenham conhecimento dos efeitos que o uso das drogas pode acarretar em seu organismo e principalmente na sua vida.

Nota:

Codependência

A codependência é uma doença silenciosa que mexe com o íntimo de alguém. O codependente se envolve tanto com a vida do dependente que não percebe sua auto anulação. O presente artigo traz a definição de codependência, sua origem, suas causas e consequências, além de mostrar o que o Estado e a sociedade civil podem fazer para amenizar esse sofrimento.

Introdução

As pessoas que sofrem com a dependência química sofrem com as consequências e com os problemas decorrentes do comportamento.

A dependência química é considerada uma doença de múltiplas causas, progressiva, familiar, crônica, incurável, porém tratável. Existem políticas públicas para melhorar ou minimizar a situação de alguém.

Crianças e adolescentes por serem pessoas em desenvolvimento merecem atenção especial através das políticas públicas sociais. Essas políticas têm como alvo principal o dependente químico. Contudo as famílias desses dependentes adoecem junto com eles e, também, precisam de ajuda.

É nesse aspecto que há uma falha na elaboração de políticas sociais. O tratamento deve ser sistêmico, pois se a família falhar o usuário falhará também.

Por essa ausência de apoio às famílias é que muitas delas se tornam codependentes dos dependentes químicos.

Nosso Face:

Nosso blog:

unidade de recuperação para menores de idades

Atendimento 24hs

(11) 4175-0727

(11) 96474-1518 (Vivo/Whatsapp)